Dicas,  Europa,  Intercâmbio,  Planejamento

5 razões para fazer intercâmbio na Irlanda

O intercambio é uma experiência que vai ficar marcada na vida e a escolha do país vai definir se ela vai ser boa ou ruim. A minha foi incrível e quero dividir alguns pontos positivos que me levaram a decidir:

1- Cursos baratos

Sem dúvida a Irlanda possui os melhores preços de cursos de inglês. Como o fluxo de intercambistas é muito grande, a oferta é bem atrativa. Mesmo com preços baratos os cursos são de qualidade.

Meu nível de inglês era super básico quando cheguei. A escola, junto com os estudos em casa e o trabalho que arrumei por lá me ajudaram a melhorar o idioma e é a chave principal da minha conexão com todos os lugares do mundo que eu visito.

 

2- Possibilidade de trabalho legalizado

A Irlanda é um dos poucos países que permite trabalhar com o visto de estudante. Atualmente a lei permite que o intercambista trabalhe 20h semanais (part time) durante o curso de inglês e após os 6 meses, é possível trabalhar 40h semanais (full time).

O salário mínimo na ilha da esmeralda é 9,55 euros/h! Isso mesmo, se você trabalhar 160h no mês, seu salário será de 1528 euros, equivalente a R$7380, na cotação atual dessa publicação. Ta bom, né?!

 

3- Facilidade para retirar o visto de estudante

O país recebe um número enorme de estudantes a todo o tempo e até incentiva esse movimento. Não é necessário tirar nenhum visto antecipado no Brasil e na passagem pela imigração do aeroporto irlandês é só falar que o objetivo é estudar e não falar que vai trabalhar que você ta dentro!

 

4- Viajar pela Europa

Na Europa existe uma série de companhias aéreas (chamadas de low cost) que oferecem destinos por preços baixíssimos. Eu cheguei a pagar 10 euros (com taxas) em uma passagem de Madrid, Espanha → Marrakesh, Marrocos. Mais barato que uma passagem Rio → Sp.

Veja também o post Como viajar barato pela Europa.

 

5- Receptividade do Irlandês

Andando pela Irlanda você percebe que o país possui estrangeiros de todos as partes do mundo trabalhando nos setores de serviço. Eu acredito que o irlandês aprendeu a lidar e a ter paciência com o pessoal que ta aprendendo inglês. Sempre fui bem recebido por eles, nunca tive nunca tive problema de relacionamento e o fato de ser brasileiro geralmente ajuda por conta da curiosidade sobre a nossa cultura.

Quando comecei a trabalhar como garçom em um restaurante japonês, meu inglês ainda não era dos melhores, principalmente o vocabulário. Muitas vezes os clientes falavam devagar e tinham calma quando eu não entendia.

 

Gostou? Deixe seus comentários, sugestões e dúvidas que vou ficar muito feliz em responder! =)

 

André Silva

André, 31 anos, cidadão do mundo. Apaixonado pelo novo. Sempre arruma tempo pra viajar e acredita que a coisa mais importante da vida é acreditar nos sonhos. Clique no nome para conhecer melhor o viajante!

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Translate »