Histórias por aí

|Histórias por aí| A importância de um sonho na sua vida

Viajante: Carolina Alves
Instagram: @carolinalvesb

Oie, eu sou a Carol e hoje eu vim falar com vocês sobre sonhos. Ué? Mas não era sobre viagem? Fica comigo que você vai entender.

Pra quem é da astrologia, eu sou pisciana, o ser mais sonhador que você vai conhecer na vida, e mesmo que gritando aos quatro ventos que não me acho pisciana, essa característica não me falta.

Sempre pensei em como seria viajar pelo mundo todo ou viver viajando, explorando cada canto do planeta, sem ficar presa em um escritório. E sempre tive alguns destinos dos sonhos, lugares que sonhava ou sonho em ir desde criança, mas confesso que passei boa parte da minha vida vivendo os sonhos de outras pessoas, conhecendo os destinos favoritos de outras pessoas. Chega um momento em que uma basta é necessário, então resolvi mudar, porém como mudar quando se depende de outras pessoas financeiramente? Não dá pra mudar totalmente com o dinheiro dos outros.

Sou escoteira desde os meus 11 anos de idade, e já vivi muitas experiências únicas por causa do movimento, incluindo o meu primeiro acampamento mundial, que é o ponto chave dessa história. A oportunidade de participar de um acampamento mundial era um sonho por si só, e aproveitar para conhecer outros países e culturas era um ótimo bônus. Decidi que iria para um acampamento específico, e então a vida e o destino te jogam de um
lado pro outro, e meu acampamento mundial dos sonhos mudou três vezes, três acampamentos diferentes com destinos diferentes. Até que em 2017 eu peguei o universo pela mão e falei agora sou eu que guio. Essa história também é sobre isso, trilhar seu próprio caminho e assumir seu próprio destino.

O ano era 2017, o destino era o acampamento mundial na Islândia. Confesso que naquela época o destino era a menor das minhas empolgações nos preparativos da viagem, eu só queria ir, fazer aquilo acontecer. E os preparativos da viagem começaram a todo vapor, tempo de turismo fora do acampamento, roteiro e tudo mais. E com isso veio a empolgação com meu destino, Islândia, a terra do fogo e do gelo, mas ainda era mais sobre a experiência, sobre a viagem e o inesperado que me aguardava.

E finalmente chegou o dia de viajar, encarar a diferença de fuso horário, bem pequena por sinal, mas uma longa viagem, e uma grande diferença de temperatura, principalmente entre a cidade que vivo, Rio de Janeiro e a Islândia como um todo. E deixa eu dizer uma coisa, tudo isso parece minúsculo, mas eu fui pra Islândia no verão, que tem temperaturas maravilhosas para nós brasileiros, máximas de 15 graus, e a coisa mais
sensacional do mundo o famoso sol da meia noite. Sim meus amigos o dia parecia eterno, o que combinado com o fuso horário super me deixava com vontade de ficar na rua até tarde, mas o friozinho (maravilhoso por sinal) te fazia querer ficar dentro de bares ou em casa aproveitando o clima, enfim, e você sabendo que teria um dia cheio no dia seguinte.

E com essas diferenças caiu a ficha, eu estava ali, eu cheguei, e parecia que a Islândia queria receber a turista da melhor forma possível, com chuva haha. Mas meu sonho estava se materializando, e a cada ponto turístico a cada lugar que eu tinha selecionado minuciosamente eu me encantava com o lugar de um jeito muito inesperado. Acho que ninguém está totalmente preparado para visitar a Islândia, é um lugar imprevisível, as paisagens são tão extraordinárias que você se sente parte do lugar sem ao menos ser dali ou falar a língua nativas. E tenho um adendo aqui, que vontade que me deu
de aprender islandês, a língua é linda e tem fonemas muito diferentes.

Foram 15 dias na ilha, entre meu turismo e o acampamento, que foi outra viagem e outra história a parte. E acho que nenhuma descrição desses 15 dias faria jus ao que foi, tanto que hoje quase três anos depois eu ainda falo da viagem como se tivesse sido ontem, apesar de sentir todo o peso da saudade desses três anos, esse é um dos efeitos da Islândia. Eu estava ali vivendo experiências que eu jamais pensava em viver, incluindo

perrengues alguns bem estranhos haha, vivendo um sonho, meu sonho, e ao mesmo tempo era um sonho que eu não sabia que era meu, eu queria tanto viajar, somente por viajar, mas a Islândia me pegou desprevenida, me falou vou te mostrar que esse lugar também era seu sonho, era o meu lugar. Eu acho que nunca me senti tão confortável, tão plena, tão tranquila quanto naqueles 15 dias. A Islândia me mostrou que os sonhos mudam de perspectiva com uma facilidade grande e se tornam exatamente aquilo que eles precisam, eu só queria viajar e terminei com uma experiência que mudou minha vida.

Pra quem quer saber mais, a Islândia é o lugar pra fazer turismo na natureza, porque o país é repleto de lugares intocados, e ao mesmo tempo que não parecem possíveis existirem nesse planeta. Eu me conectei com aquele lugar de formas que eu não me conectei com meu país, lembro de observar o céu a “noite” e ficar espantada e maravilhada ao mesmo tempo. Praias de areia preta, períodos de claridade que iam até a madrugada, lagoas de iceberg, vulcões, gêiseres, cachoeiras gigantescas, isso não chega
perto de descrever o que você pode encontrar por lá.

A Islândia me ensinou que não adianta brigar com a vida, o destino, o universo, eu poderia ter viajado antes, para outro lugar, outro acampamento, outras pessoas, mas de alguma forma ali era meu lugar, aquela era minha hora. Um país que parece um outro planeta dentro do planeta, com tantas cores, tanta vida, tantas nuances que é difícil não sei
deixar levar pelo lugar.

Então acho que o que eu queria dizer é você tem se permitido sonhar? Sonhe, planeje, mesmo que não tenha condições de executar agora, ou em um futuro próximo, mas se prepare, o universo vai dar um jeito. O que está esperando para sonhar com seu próximo destino? E não se desespere ou surpreenda se seu sonho mudar no meio do caminho.

Também quer contar sua história (veja todas) e aparecer por aqui? Manda um e-mail para euvouporai@gmail.com que vamos adorar publica-la!

André Silva

André, 33 anos, cidadão do mundo. Apaixonado pelo novo. Sempre arruma tempo pra viajar e acredita que a coisa mais importante da vida é acreditar nos sonhos. Clique no nome para conhecer melhor o viajante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*