Aventura,  Europa,  Histórias por aí,  Inspiração,  Viajantes

|Histórias por aí| Em uma viagem, você nunca está sozinho

Viajante: Geovanna Kerkhoven
Instagram: @geovanna.k

Não importa onde você esteja no mundo, sempre vai ter alguém que vai provar que você não está sozinho

Duas coisas importantes que você precisa saber para continuar essa história:

  1. Mesmo com medo, eu fiz um mochilão pela Europa de agosto a outubro de 2019 que incluía os seguintes países no planejamento: Espanha, França, Itália, Alemanha, Holanda, Bélgica, Inglaterra e Portugal.
  2. Eu faço parte do movimento escoteiro desde 2002.

Aproveitei que uma amiga se mudou para Milão e usei a cidade como um ponto de descanso durante 5 dias do meu mochilão. Se você acha que tem muito o que fazer por lá, acredite, tem, e acabamos parando em uma balada no centro da cidade com estudantes de Erasmus Mundus (programa de mobilidade acadêmica da Europa). Na saída, fomos em busca de um Mc Donalds 24h (porque aqui no BR é fácil de achar né…) e acabamos a noite sentadas entre dois carros após roubarem o meu telefone.

Fazia pouco mais de duas semanas que eu estava viajando e ainda não tinha conseguido subir as fotos pra nuvem e todo, sim TODO, o planejamento da viagem estava sendo feito por ele. Adeus, 600 fotos e um cronograma todinho de viagem. Eu não tinha como seguir viagem sem um telefone, então comprei um outro (chorando por dentro por gastar mais dinheiro do que eu tinha planejado). 

Eu não falo italiano e não tinha para onde ir!

O problema era: eu precisaria sair da hospedagem no sábado, e tudo havia acontecido na madrugada de sexta. Então não consegui me organizar direito pra seguir viagem. Postei no Facebook que estava procurando pessoas que pudessem me ajudar quanto à hospedagem de forma gratuita, porque meu orçamento precisaria ser diminuído à força. Dentre as marcações que meus amigos fizeram, uma menina foi extremamente incrível e me mandou mensagem em todas as mídias sociais me oferecendo ajuda.

Ela é de SC mas estava morando com o marido na Itália e abriu as portas da casa (e do coração) pra mim. Me ligou dizendo que eu podia pegar o primeiro trem pra cidade dela – Domodossola – há 2h de Milão, que eles estariam me esperando e que eu poderia ficar o tempo que precisasse até me estabelecer emocionalmente e me organizar pra seguir viagem.

Print da mensagem que a Ornella me enviou

No domingo de tarde, antes de sairmos pra jantar, eles me chamaram e disseram que tinham um plano pra passarmos o aniversário dela e queriam saber o que eu achava… A ideia era sair de manhã cedo rumo à Kandersteg, na Suíça, onde fica o Centro Escoteiro Internacional. Lembra que eu contei que Suíça não estava nos planos né? Nem seguro de viagem eu tinha pra cruzar a fronteira… mas fui. E estava fazendo 3º lá.

Se me perguntassem como eu imaginava a Europa, era exatamente assim! Eu perdi todo o medo que eu tinha de estar sozinha.

Dentre todos os lugares em que estive, Kandersteg foi, de longe, o mais inesperado e incrível. Eu não imaginava que seria possível conhecer algo tão fantástico. Eu perdi todo o medo que eu tinha de estar sozinha. Dentre todas as construções de metal e concreto que visitei, foi uma paisagem natural que me conquistou. E quando cheguei lá, pude ver que terem roubado meu celular causou apenas uma perda material, porque as coisas mais lindas da minha viagem estavam ali, bem na minha frente. Eu estava viva pra vê-las, e eu chorei.

O lugar mais lindo que eu já vi na vida!
A perfeição desse lugar não tem explicação.

Parei longe dos meus novos amigos por uns minutos e chorei enquanto tudo parecia lindo demais pra ser realidade, sabe? O dia estava lindo, eu estava num lugar que tinha valor emocional pra mim, com duas pessoas incríveis que resolveram ajudar uma estranha em pânico em uma cidade gigantesca. E nesse dia, eu perdi todo o medo que eu tinha de estar sozinha na viagem. Porque eu nunca estava… Como o André disse, o mundo ta sempre disposto a te ajudar.

Voltamos à Domodossola e, no dia seguinte, eu voltei à Milão para pegar um trem com destino a Roma. Com bem menos dinheiro do que quando cheguei, mas com muita certeza de que eu ia conseguir chegar ao fim do mochilão com todas as melhores experiências da minha vida. Eu precisei de 3 dias pra me recompor com a ajuda de dois seres humanos incríveis – que devem estar lendo esse texto agora.

Dan e Ornella no lugar onde acontecem Fogos de Conselho

Obrigada Orne e Dan por terem sido minha família quando eu precisei e por terem estado comigo em um dos dias mais felizes da minha viagem. Serei eternamente grata!

Também quer contar sua história e aparecer por aqui? Manda um e-mail para euvouporai@gmail.com que vamos adorar publica-la!

Avatar

26 anos, RP, se sente em casa em qualquer lugar. Acredita que ser positiva e sorrir pode abrir muitas portas pelo mundo, além de fazer bem pra alma. Do bate-volta ao mochilão, o importante é viver intensamente! Instagram @geovanna.k

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*