Inscreva-se na Semana Meu Mochilão da Vida

Evento inédito que vai te passar o caminho pra tirar do papel aquele sonho de viagem que sempre adiou

A arte de viajar o mundo gastando pouco e vivendo muito

Dias
Horas
Mins
Segs

Obs: Totalmente gratuito. Porém ficará no ar apenas durante a semana do evento

Guia de Viagem na Europa

A histórica cidade de Praga, com sua arquitetura clássica e impressionante.

De Paris encantadora aos cafés repletos de fumaça em Amsterdã, da Oktoberfest à La Tomatina, a Europa é um continente vasto e diversificado, com uma variedade ilimitada de coisas para ver e fazer. Não terá problema em preencher seu tempo, seja mochilando pela Europa por alguns meses com um orçamento ajustado ou passando apenas algumas semanas lá em umas férias merecidas.

O continente ostenta praias maravilhosas, arquitetura histórica, vinhos incríveis e uma infinidade de festivais de classe mundial. Cada país é incrivelmente diferente do próximo, oferecendo uma variedade infinita de opções para o que fazer durante a viagem.

Eu mochilei pela Europa pela primeira vez em 2006 e fiquei imediatamente encantado. Tenho visitado todos os anos desde então, conduzi passeios pelo continente e até escrevi um livro sobre viajar pela Europa. É um destino que amo e nunca me canso de explorar.

Este guia fornecerá uma visão geral da Europa e as dicas e truques necessários para começar a planejar sua viagem. Também escrevi guias de viagem extensos para cada país do continente (linkados abaixo neste post), para que você possa obter informações mais detalhadas para seu itinerário específico também!

Top 5 Coisas para Ver e Fazer na Europa

1. Explorar as Ilhas Gregas Essas ilhas são o paraíso da diversão na praia no verão, e cada uma é única à sua maneira. Há Ios (centro das festas na praia com ruínas arqueológicas e incríveis passeios de barco); Kos (ruínas antigas e natureza); Creta (ruínas da Idade do Bronze de Cnossos, trilhas, praias e vinhos), Santorini (águas azuis icônicas, construções brancas e vinícolas locais); Mykonos (a ilha de festas mais sofisticada, com praias deslumbrantes, vilas e pores do sol), Naxos (a melhor ilha nas Cíclades). E ainda temos Milos, Corfu, Lemnos, Zakynthos e muitas mais! Com centenas de ilhas no país, sempre é possível encontrar o que você está procurando!

2. Pegar o Trem pela Europa A Europa é famosa por seu sistema ferroviário internacional. Passes ferroviários como o Eurail Pass existem há muito tempo e ainda tornam muito fácil viajar de país para país com um orçamento relativamente pequeno (e com muita flexibilidade). A Europa possui alguns dos trens mais rápidos do mundo, que viajam a incríveis 350 km/h. Todo o continente é interligado por trens, e há um esforço crescente para ainda mais conexões e trens de alta velocidade de longa distância para reduzir os voos e ajudar na luta contra as mudanças climáticas. Não há nada mais emblemático do que viajar de trem na Europa, e encorajo a pegar o máximo possível de trens. É uma das melhores maneiras de ver o continente.

3. Perder-se em Paris A “Cidade das Luzes” é tudo o que as pessoas dizem. Me apaixonei por ela na primeira vez que pus os pés em Paris. A cidade é simplesmente mágica. Você tem uma infinidade de museus, cafés, clubes de jazz, arte famosa e arquitetura belíssima. Adoro passear pelas ruas do Quartier Latin ou pelo bairro de Montmartre, que proporciona um dia deslumbrante. Outra das minhas coisas favoritas aqui é simplesmente sentar no Jardin des Champs-Élysées e fazer um piquenique como os parisienses. Para algo um pouco diferente, conheça as famosas Catacumbas e o Museu do Esgoto de Paris. Com tanto a oferecer em termos de cultura, história e gastronomia, levaria anos para ver tudo aqui, mas você ainda pode ter uma boa impressão da cidade em poucos dias.

4. Passear por Diversas Cidades Há tantas cidades incríveis na Europa que precisaríamos de um top 100 para listar todas. Aqui estão algumas das minhas favoritas pessoais e cidades imperdíveis: Londres é rica em história, cultura e o famoso relógio do Big Ben; Edimburgo é uma cidade medieval vibrante com pubs aconchegantes e um castelo famoso, além de uma enorme festa de Ano Novo; Amsterdã tem aconchegantes cafés e canais cobertos de árvores; Berlim possui uma cena de festas vibrante, arte de rua e o Muro de Berlim; Barcelona tem tapas, praia e a arquitetura única de Gaudí; Lisboa costeira tem azulejos coloridos, bondes antigos, ruas de paralelepípedos e muitos frutos do mar frescos; Praga possui uma bela Cidade Velha intacta, arquitetura incrível e bares ecléticos; Tallinn, Estônia, tem belos prédios medievais com telhados coloridos. Florença é um paraíso para a arquitetura do Renascimento italiano, história da arte e sorvete; Estocolmo mescla arquitetura medieval e arte e design modernos. Percorra o continente, absorva a cultura e aprecie todas as cidades históricas!

5. Visitar os Alpes Seja esquiando no inverno ou caminhando no verão, os Alpes possuem algumas das vistas mais deslumbrantes de todo o mundo. Você nem precisa ser um alpinista experiente, pois existem trilhas para todas as habilidades e lagos alpinos cristalinos. Confira a espetacular trilha do Eibsee na Baviera, aos pés do Die Zugspitze, a montanha mais alta da Alemanha, para ver o lago mais claro, multicolorido e cintilante que você já viu. Ou a trilha panorâmica Männlichen Kleine Scheidegg, nos Alpes verdes e nevados deslumbrantes da Suíça. Ou visite as Dolomitas na região do Tirol do Sul na Itália para a cênica trilha de Seceda. Os Alpes têm trilhas para todos os níveis de condicionamento físico e em todas as estações.

Outras Coisas para Ver e Fazer na Europa

1. Conheça Amsterdã Eu amo tanto Amsterdã que vivi aqui por um curto período em 2006. Aqui, ruas de paralelepípedo e tijolos se entrelaçam em torno de adoráveis canais enquanto as pessoas andam de bicicleta para lá e para cá. Minhas coisas favoritas para desfrutar aqui são a vibrante cena artística e musical de Amsterdã, e há também uma tonelada de museus interessantes, como a Casa de Anne Frank, o FOAM, o museu de história e o museu da cannabis. Certifique-se de sair do centro para Jordaan e Oost, com seus maravilhosos cafés ao ar livre e menos turistas. Além disso, uma visita a Amsterdã não estaria completa sem um cruzeiro pelos canais para visitar as muitas ilhas, e há muitas opções que incluem lanches e bebidas, cruzeiros ao pôr do sol, passeios guiados ao vivo e muito mais.

2. Curta Barcelona Barcelona é uma cidade que não para, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pode realmente rivalizar com Nova York pelo título de “cidade que nunca dorme”. Esteja preparado para jantares até tarde da noite e festas até o amanhecer. Além de uma ótima cena gastronômica e vida noturna, há uma maravilhosa praia, toneladas de arquitetura de Gaudí (incluindo o Parc Güell, com um ar de conto de fadas, e a icônica Sagrada Família, em construção há mais de 100 anos!), incríveis passeios gastronômicos, um dos melhores museus de história do país e muitos espaços ao ar livre. O que amo em Barcelona é que, quando você quer relaxar, pode passear pelo Parc de la Ciutadella e admirar as majestosas fontes, a vegetação e os prédios criados a partir de uma ornamentada fortaleza militar.

3. Visite Berlim Berlim é uma destino moderno e cheio de energia. É uma das capitais mais acessíveis da Europa, com uma vibrante cena musical e artística e um crescente movimento gastronômico. Certifique-se de passar um tempo aprendendo sobre a história sombria da cidade por meio dos muitos excelentes museus, memoriais e pontos de referência. A East Side Gallery, uma seção do Muro de Berlim agora pintada com murais, e o Memorial aos Judeus Mortos da Europa são dois lembretes especialmente poderosos do passado da Alemanha. Para todos os períodos da história alemã, não perca o Deutsches Historisches Museum (Museu Histórico Alemão) – é um dos melhores museus de história do mundo. Depois de absorver a história, relaxe nos muitos espaços verdes de Berlim, desde o Tempelhof Field, antigo aeródromo e popular ponto de encontro local, até o Tiergarten, antigo terreno de caça coberto por árvores para aristocratas do século XVII.

4. Beba cerveja na Oktoberfest Oktoberfest é imperdível para quem vai à Alemanha no final de setembro. Embora não seja uma opção econômica, já que as cervejas agora custam 15 € o maß, adoro a energia e camaradagem amigável que este evento inspira. Durante duas semanas, milhões de pessoas de todo o mundo se reúnem para muita cerveja, animação, música e diversão selvagem. Ver milhares de pessoas cantando juntas, levantando canecas de cerveja para brindes intermináveis e desfrutando do clima de festa geral faz você se sentir bem em relação ao mundo. (Ou talvez seja apenas a cerveja?) Apenas certifique-se de reservar sua acomodação com antecedência e esteja preparado para pagar preços altos por elas. Se você não tem uma roupa típica, não se preocupe, existem muitas lojas até mesmo na estação ferroviária principal onde você pode comprar um vestido típico bávaro e lederhosen para homens.

5. Viva a Experiência de Londres Tenha um gostinho da cultura inglesa na diversificada Londres. Os museus aqui estão entre os melhores do mundo (a maioria é gratuita) e incluem o Tate, o Museu Britânico, o Museu da Cidade, a Galeria Nacional e o Museu Histórico. Não há escassez de pontos icônicos aqui também, com o Big Ben, o Palácio de Westminster, o London Eye, a Torre de Londres, a Tower Bridge e, claro, o Palácio de Buckingham. Amo a diversidade de Londres por causa dos inúmeros restaurantes internacionais com ótima comida e a maravilhosa cultura de pubs, perfeita após um longo dia conhecendo os pontos turísticos. Vá até Brick Lane nos fins de semana para uma comida incrível e mercados de artesanato. Prefiro Paris a Londres, mas há algo sofisticado e divertido sobre Londres. Apenas cuidado com as pintas – Londres não é um destino barato!

6. Aproveite ao Ar Livre na Escandinávia Minha região favorita na Europa é a Escandinávia. A qualidade de vida aqui é alta, as pessoas são bonitas e amigáveis, e as cidades são limpas e históricas. Pedalar pelas cidades, fazer passeios de barco nos canais, caminhar pelas vastas áreas florestadas, pular entre as ilhas do arquipélago, desfrutar do fika (uma pausa para café sueca) e relaxar nas saunas são apenas algumas das atividades populares que o esperam aqui. É verdade, esta área da Europa não é barata, mas há muitas maneiras de reduzir seus gastos. Não deixe que os preços altos o afastem. Destaques para mim incluem Copenhague, Estocolmo, Gotland, os fiordes da Noruega e a Lapônia na Finlândia.

7. Encante-se em Praga Praga tem uma história incrível e é uma das cidades mais bonitas e pitorescas que já vi. Destaques incluem o Castelo de Praga do século IX, a magnífica Ponte Carlos (construída no século XIV e uma das pontes mais antigas do mundo), a praça antiga do século X com seu icônico relógio astronômico, e o sinuoso Bairro Judeu. Mesmo se você tiver apenas alguns dias, não perca o passeio a pé gratuito, que é um dos meus favoritos na Europa e a melhor maneira de aprender sobre a Cidade Velha e a história trágica da cidade que passou de capital boêmia próspera de arte, música e literatura para parte da Cortina de Ferro após a Segunda Guerra Mundial. Alguns dos meus tesouros favoritos aqui incluem os fantásticos shows de teatro em preto e luz 4D e o show de jantar medieval único em uma taberna antiga, completo com músicos e malabaristas, sem mencionar comida substanciosa e bebidas. Durante os fins de semana, é cheio de pessoas desfrutando dos bares, cerveja barata e deliciosa comida, então tente visitar durante a semana (e na primavera ou outono) para evitar as multidões.

8. Relaxe na Riviera Francesa Aqui, você pode fingir viver uma vida luxuosa por um tempo. Divirta-se ao sol, relaxe na praia, nade em águas azuis e conviva com os ricos e famosos, e veja (ou navegue em) iates gigantescos. Quanto às cidades, Nice é agradável com sua avenida alinhada de palmeiras, cidade antiga e muitos museus de arte. Se você quer ver como os ricos e famosos vivem, passe uma tarde conferindo Cannes para absorver algumas vibrações glamorosas na La Croisette, onde realizam o famoso Festival de Cinema de Cannes. O reino de Mônaco, com suas ruas estreitas, belos edifícios e famoso cassino mundial, está a apenas um pulo de distância.

9. Aproveite a Natureza em Interlaken Localizado nas belas montanhas da Suíça, Interlaken é um lugar maravilhoso para relaxar, com fantásticas caminhadas, delicioso chocolate quente e muitos esportes ao ar livre. A área está repleta de atrações naturais para explorar, incluindo as Cavernas St. Beatus (com um dragão lendário), as Cachoeiras Giessbach de 500 metros de altura, o trem de montanha Jungfraujoch (que leva à estação de trem mais alta do continente) e uma infinidade de lagos (daí o nome da cidade). É uma boa alternativa a todas as cidades e museus. Interlaken também é um destino de festa popular para mochileiros e outros jovens viajantes. De longe, minha trilha favorita, cênica e visualmente impressionante, foi a caminhada panorâmica do Oberberghorn, onde você pode passear pela crista da montanha verde, admirando as vistas incríveis e o Lago Brienzersee azul-turquesa.

10. Viva a História em Roma Nesta cidade histórica e próspera, você não consegue dar dois passos sem tropeçar em uma ruína, tornando Roma um sonho para amantes de história. Suas ruas estreitas são perfeitas para explorar enquanto você visita o Coliseu, vê o Fórum e a Colina Palatina, visita o Panteão, passa tempo na Cidade do Vaticano, admira a Escadaria Espanhola e joga moedas na famosa Fontana di Trevi. Os ingressos sem fila definitivamente valem a pena para que você não perca tempo esperando do lado de fora das atrações. Roma também tem uma comida incrível (é a Itália, afinal) e uma vida noturna animada. Visite a área de Trastevere para sentir o “local” de Roma e curtir bares descontraídos. É minha área favorita na cidade porque você se sente em uma pequena vila no meio de uma cidade grande.

11. Caminhe pelas Cinque Terre Cinque Terre é minha parte favorita da Itália. Essas cinco belas cidades no alto dos penhascos estão situadas perto de águas quentes e belos olivais e parreirais. Existem caminhadas maravilhosas e desafiadoras nessas colinas; para um desafio real, siga a trilha nº 8. Ou simplesmente caminhe pela costa para algo menos difícil. Muitas atividades aqui giram em torno da costa: caiaque, natação, fazer um piquenique na praia ou visitar o Museu Naval Técnico. Se você estiver aqui em dezembro ou janeiro, não perca o Presépio de Manarola, a maior cena de natal iluminada do mundo.

12. Visite Cracóvia Cracóvia parece ter saído de um cartão postal medieval. É uma cidade moderna, jovem e descolada que é o centro da educação na Polônia, o que significa que há muitos estudantes universitários aqui. A maioria dos viajantes vem aqui para festas (a vodka é barata), mas tente aproveitar a história e a comida da cidade além dos bares. Caminhe pela Royal Road pelo centro histórico até o Castelo Wawel do século XIII, visite a Fábrica de Schindler (onde Schindler salvou mais de 1.200 judeus durante a Segunda Guerra Mundial) e visite o sombrio campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. Você também pode fazer uma fascinante viagem de um dia até a Mina de Sal de Wieliczka, Patrimônio Mundial da UNESCO, uma mina do século XIII com câmaras amplas, estátuas, capelas, lustres e catedrais, tudo esculpido em sal.

13. Visite os bares em ruínas em Budapeste A vida noturna mais legal de toda a Europa está em Budapeste. Construídos em prédios abandonados, os bares em ruínas apresentam instalações artísticas peculiares, móveis reaproveitados e decoração excêntrica. Eles são lugares incríveis, divertidos e ótimos para conhecer os locais, já que pessoas de todas as idades se reúnem aqui. Aberto desde 2001, o Szimpla Kert é o bar em ruínas original e um dos meus favoritos, junto com o Complexo Instant-Fogas, que ocupa um prédio inteiro e na verdade são muitos bares diferentes em um só. Não pule os bares em ruínas – são uma das coisas mais únicas sobre a cidade!

14. Explore Cornwall A melhor parte da Inglaterra está fora de Londres, no entanto, infelizmente, não muitos viajantes deixam Londres. Dirija-se ao oeste para a região de Cornwall por preços mais baixos, locais acolhedores, beleza natural, ótimas trilhas, colinas ondulantes, muitos castelos medievais e pitorescas cidades pequenas. Se você gosta de andar de bicicleta, o Camel Trail de Bodmin a Padrow vale a pena e você até passa por uma vinícola local. É uma maneira fácil de passar um dia (e é bastante plano, então não é tão difícil.) Além disso, comi o melhor peixe e batatas fritas em Cornwall! No geral, é o que se pensa como “Inglaterra tradicional”.

15. Jogue tomates durante La Tomatina De longe, meu festival favorito, a maior guerra de comida do mundo acontece na última quarta-feira de agosto em Bunol, Espanha. O que começou em 1945 como uma briga local se transformou em um evento massivo atraindo dezenas de milhares de pessoas de todo o mundo. Por cerca de uma hora, todos atiram tomates uns nos outros, deixando as ruas com suco de tomate até os tornozelos. Depois, todos vão para o rio, se limpam e depois vão para a praça da cidade tomar sangria e ouvir música.

16. Encontre Drácula na Romênia Não muitas pessoas visitam a Romênia, mas este país subestimado no leste europeu tem cidades medievais pitorescas e ainda não descobertas como Brasov (lar do “castelo do Drácula”), Sighisoara e Sibiu; praias maravilhosas no Mar Negro; e trilhas incríveis nas Montanhas Fagaras – tudo a preços muito baratos. Outros pontos principais incluem mosteiros bizantinos afrescados, as igrejas de madeira pontiagudas da Transilvânia, a universitária e moderna cidade de Cluj-Napoca, a capital pós-comunista de Bucareste e o Delta do Danúbio, uma enorme reserva natural.

17. Beba uísque em Islay O uísque tem uma longa história em Islay, uma ilha na costa oeste da Escócia. Ele é feito lá desde o século XVI – primeiro em quintais e, a partir do século XIX, em grandes destilarias. Ao longo dos anos, o uísque da ilha passou a ser considerado uma especialidade e foi usado para dar sabor a muitos outros blends no continente. Atualmente, existem nove destilarias em funcionamento na ilha, todas localizadas ao longo das margens, sendo Laphroaig, Ardbeg e Lagavulin as mais famosas. A maioria das destilarias aqui produz uísque escocês de malte único, o que significa que apenas um tipo de grão (cevada) é usado. Minha visita aqui foi incrível e, mesmo que você não goste de uísque, há muitas boas trilhas e caminhadas nesta magnífica ilha.

18. Explore a Islândia A Islândia é um país mágico, com majestosas cachoeiras, fontes termais escondidas a cada esquina e vistas panorâmicas como em nenhum outro lugar do mundo. Após minha primeira visita, o país rapidamente se tornou um dos meus favoritos. Com observação de baleias no verão, auroras boreais no inverno e banhos geotérmicos para relaxar o ano todo, realmente não há um mau momento para visitar! Embora a principal atração da Islândia sejam as paisagens naturais épicas, vale a pena passar alguns dias em Reykjavik, com sua cultura de cafés, atmosfera artística e casas coloridas de madeira.

19. Navegue pela costa croata Com ventos calmos, curtas distâncias, uma costa repleta de mais de 1.000 ilhas e inúmeros locais históricos, a Croácia é um dos melhores destinos de veleiro do mundo. Se puder, vá durante a entressafra, quando você pode encontrar ótimos negócios. Planeje ficar pelo menos alguns dias em uma das ilhas, sendo as mais populares Brac, Hvar, Krk, Cres e Lošinj. No entanto, não tenha medo de sair do caminho comum e explorar algumas das ilhas menos conhecidas, como Silba, Vis e Lastovo. Se quiser se esbanjar e passar uma semana festejando em um iate, confira a The Yacht Week, que promove festas de uma semana, completas com DJs, de maio a setembro. Você pode reservar um barco inteiro para compartilhar com amigos ou apenas uma cabine se estiver viajando sozinho. Os preços começam em 5.250 HRK por pessoa e vão até 9.300 HRK.

20. Explore os Bálcãs Embora os Bálcãs tenham se tornado mais populares entre mochileiros nos últimos anos, ainda são amplamente ignorados pela maioria dos viajantes com orçamento limitado, apesar de serem uma região extremamente econômica. A península dos Bálcãs é lar de vinhos ótimos (e novamente, ignorados), belas cidades medievais como Kotor e Mostar, paisagens montanhosas deslumbrantes, belas praias de seixos, cultura do café, comida fresca, farta e barata, e museus que cobrem a história da área, incluindo os eventos turbulentos mais recentes do início dos anos 1990. Especialmente amei meu tempo na Albânia. Não perca as belas praias em Ksamil, apelidadas de “Maldivas da Europa”, bem como a vila montanhosa de Gjirokastër, que foi ocupada por romanos, bizantinos e otomanos. Os Bálcãs têm muito a oferecer para cada orçamento e cada país tem seu sabor cultural único.

21. Faça um tour de vinho no Vale do Loire Localizado no centro da França, o pitoresco Vale do Loire é um Patrimônio Mundial da UNESCO e se estende por 280 quilômetros ao longo do rio Loire. Uma das principais regiões produtoras de vinho da França, a área abriga alguns dos melhores vinhos do mundo, com mais de 1.000 vinícolas abertas ao público. Mesmo quem não bebe vinho vai curtir as belas cidades pequenas, ótima comida e os mais de 300 impressionantes castelos da região. Eu adorei o Castelo medieval de Chenonceau e o Chateau Villandry, bem como as pequenas aldeias como Saint-Florent-le-Vieil. Primavera e outono são meus momentos favoritos para visitar porque você pode andar de bicicleta e fazer atividades ao ar livre quando não está muito quente e há menos pessoas. É uma área para não ser perdida.

22. Veja o Fado em Portugal O Fado é uma tradição musical importante em Portugal, originária de Lisboa e remontando a cerca de 200 anos. A palavra “fado” provavelmente vem da palavra latina para destino, e é uma música muito assombrosa, poética e emocional. A maioria das músicas segue temas de perda e luto, e a música era popular entre a classe trabalhadora (especialmente os marinheiros). As apresentações geralmente ocorrem em restaurantes durante o jantar. Em Lisboa, vá ao Clube de Fado, Tasca do Chico, Parreirinha de Alfama ou Senhor Vinho.

23. Passeie pela verde Eslovênia A Eslovênia é um dos destinos menos visitados da Europa, o que é surpreendente para mim, porque é um lugar incrível para visitar. A Eslovênia oferece toda a beleza da Europa Ocidental, mas a uma fração do custo e com uma fração das multidões. Perfeito para os amantes da aventura ao ar livre, a Eslovênia oferece montanhas robustas, paisagens intocadas, resorts de esqui fantásticos, muito vinho, sistemas de cavernas expansivos, comida incrível e lagos perfeitos, como o famoso Lago Bled, com seu castelo em uma ilha. Amei Piran, a cidade portuária veneziana costeira frequentemente esquecida da Eslovênia, que na verdade foi fundada há 3000 anos. Passeie pelas belas ruas de paralelepípedos ventosas, belas praças e aproveite os muitos restaurantes acessíveis à beira-mar. Certifique-se também de passar alguns dias na capital do país, Ljubljana, conhecida como uma das cidades mais verdes e habitáveis do continente. Faça um cruzeiro pelo rio para conhecer a cidade e aproveitar a simpatia dos moradores.

Custos de Viagem na Europa

Hospedagem – Os preços de hospedagem variam muito por região. No Oeste da Europa, quartos em dormitórios de albergues custam entre 25-45 EUR por noite, dependendo do tamanho do quarto e da popularidade do albergue. Fiquei em um dormitório com 6 camas em Berlim por 20 EUR, enquanto o mesmo quarto custaria cerca de 45 EUR em Paris. Um quarto em Paris custa na extremidade mais alta e um quarto em Atenas mais barato custa na extremidade mais baixa.

No Leste Europeu, quartos em dormitórios de albergues custam entre 10-15 EUR por noite, dependendo do tamanho do dormitório e da popularidade do albergue. Quanto mais a leste você vai, mais barato fica. Espere pagar cerca de 30-60 EUR por noite por um quarto privado para duas pessoas.

Na Escandinávia, camas em dormitórios de albergues custam cerca de 25-45 EUR, enquanto quartos privados estão entre 65-80 EUR. Hotéis econômicos começam por volta de 85 EUR.

A maioria dos lugares oferece lençóis gratuitos, Wi-Fi grátis e muitos oferecem café da manhã gratuito, mas é importante verificar sites específicos para ver as comodidades exatas.

Acampamentos custam entre 10-15 EUR por noite para um terreno básico para duas pessoas sem eletricidade.

Comida – As tradições alimentares na Europa são profundas, remontando séculos e se tornando partes integrais da cultura de cada país. Desde baguetes na França até tapas na Espanha, de ensopados e goulash do Leste Europeu a vegetais frescos e azeites de oliva do Mediterrâneo, a culinária europeia varia tanto quanto os países.

Mas não importa onde você esteja, mesmo nos países mais caros, encontrar lugares para comer dentro do seu orçamento é mais fácil do que se possa pensar. Em toda a Europa Ocidental, você pode encontrar pequenas lojas, barracas de comida de rua ou trailers de comida onde pode obter sanduíches, gyros, kebabs, pedaços de pizza ou salsichas por entre 3-7 EUR. Essas lojas são mais frequentemente encontradas em estações de trem, estações de ônibus e principais áreas pedestres, oferecendo alternativas baratas que podem resultar em uma alimentação de 12-17 EUR por dia. Fast food (pense no McDonald’s) custa cerca de 7-10 EUR por refeição.

Estabelecimentos turcos, do Oriente Médio e vietnamitas são comuns na Alemanha, enquanto a comida indiana é incrível e está por toda parte no Reino Unido. Refeições nesses restaurantes geralmente custam entre 8-12 EUR.

Refeições em restaurantes informais e tradicionais geralmente custam cerca de 13-25 EUR por prato principal e bebida. A comida é muito mais barata no leste do que no oeste, e no oeste, regiões do norte como a Escandinávia e o Reino Unido são mais caras do que países do sul como Espanha, Portugal e Itália.

No Leste Europeu, mesmo se você fizer todas as suas refeições fora, ainda pode se virar com um orçamento alimentar de tão pouco quanto 15 EUR por dia.

Para bebidas, um pint de cerveja custa 2-5 EUR, uma taça de vinho custa 2-7 EUR, um cappuccino custa 2-5 EUR e coquetéis variam entre 6-14 EUR.

Se você comer fora, faça isso no almoço e peça o menu fixo (menu de duas ou três opções). Os restaurantes oferecem esse menu durante o almoço, e com preços entre 10-20 EUR, é um negócio muito melhor do que o menu regular do jantar. Você também pode encontrar almoços acessíveis em mercados ao ar livre. Muitas cidades europeias têm grandes mercados de alimentos frescos por toda parte.

Você pode cozinhar sua própria comida por cerca de 45-65 EUR por semana. Isso lhe proporciona ingredientes básicos como arroz, massa, produtos sazonais, pão e um pouco de carne. Você pode economizar comprando em supermercados de desconto como Profi, Lidl, Aldi e Penny Market.

Se quiser economizar muito nas refeições, vá a um dos mercados, pegue queijo, vinho, pão, carnes ou qualquer outra coisa, e vá para o parque fazer um piquenique. (Ou pegue um sanduíche para depois!) Você verá os moradores fazendo o mesmo e é uma das maneiras mais baratas de ter um verdadeiro sabor da comida local.

Orçamentos Sugeridos para Mochilão na Europa

Os preços para viajar na Europa variam muito dependendo de quão ao norte, leste, sul ou oeste você viaja. Se você se ater às acomodações, alimentação e passeios econômicos listados aqui e usar todas as minhas dicas para economizar dinheiro, você precisará de cerca de 65-110 EUR por dia no Oeste da Europa, 40-50 EUR no Leste da Europa e cerca de 85-130 EUR na Escandinávia.

Esses números refletem um viajante que fica em albergues, cozinha algumas refeições e come fora de forma econômica, aproveita algumas bebidas e se limita a atividades gratuitas e baratas como caminhadas, passeios a pé e apreciação da natureza. Este é o seu típico orçamento de mochileiro. Você não terá uma experiência luxuosa, mas também não faltará nada.

No entanto, ao obter cartões turísticos e passes de trem, evitando voos, ocasionalmente praticando Couchsurfing ou acampando, cozinhando todas as suas refeições e não bebendo, você pode viajar muito mais barato. Com esse orçamento, você poderia viajar na Europa Ocidental gastando 35-45 EUR por dia, no Leste da Europa por 20-25 EUR e na Escandinávia por 50-65 EUR. Isso exigiria que você pegasse um trem, um ônibus ou pedisse carona em todos os lugares, evitasse a maioria dos museus e limitasse a frequência com que sai.

Em geral, o orçamento diário sugerido para a Europa é de 80-120 EUR. Você pode usar o gráfico abaixo para ter uma ideia de quanto precisa orçar diariamente. Tenha em mente que essas são médias diárias – alguns dias você gastará mais, outros dias gastará menos (você pode gastar menos todos os dias). Queremos apenas dar uma ideia geral de como fazer seu orçamento. Os preços estão em EUR.

Cama em DormitórioPousadaRefeiçãoViagem de ÔnibusAtraçõesCusto Diário Médio
Leste da Europa10-1530-604-80,50-1,506-10
Oeste da Europa20-3540-658-121,50-410-25
Escandinávia25-4565-8010-204-510-15
Guia de Viagem na Europa: Dicas de Economia

Os guias individuais de cada país têm informações mais específicas sobre como economizar dinheiro neles, mas aqui estão algumas dicas gerais para reduzir seus custos enquanto explora a Europa:

Piquenique – Este continente tem muitas lojas onde você pode comprar sanduíches prontos ou ingredientes para fazer os seus. Muitos supermercados também têm delicatessens onde você pode pegar comida para viagem. Compre algo para comer, faça uma refeição ao ar livre e observe a cidade e as pessoas passando. É uma forma muito mais agradável e barata de comer.

Coma Local e Barato – Não está a fim de fazer um piquenique? Coma em lanchonetes locais, pizzarias, Maoz, Wok to Walks e vendedores ambulantes ao ar livre. Evitar restaurantes e comer em muitos dos lugares locais “pegar e levar” oferece uma amostra da culinária local a um preço muito mais barato. Se estiver realmente com o orçamento apertado, use suas habilidades culinárias para preparar refeições no albergue também.

Fique com um Local – Albergues podem se tornar caros rapidamente. Se não tiver amigos com quem possa ficar, considere usar o Couchsurfing, que o conecta com locais que o hospedam gratuitamente. Além disso, eles costumam ter encontros para conhecer outros moradores e viajantes. É uma ótima maneira de economizar com a acomodação e conhecer um local que pode compartilhar suas dicas e conselhos.

Acampe em um Jardim – Um ótimo serviço de camping específico para a Europa é o Campspace, que permite montar uma barraca no quintal de alguém gratuitamente ou por uma pequena taxa (cerca de 10-20 EUR). Todos os donos dos jardins têm perfis que mostram quais serviços e facilidades eles oferecem. Além disso, muitos países permitem o camping selvagem (como a Suécia), o que pode economizar uma fortuna se você tiver uma barraca.

Pegue o Ônibus – Empresas de ônibus econômicos como a Flixbus podem levá-lo por todo o continente por um preço baixo. Pessoalmente, acho melhor para viagens diurnas, pois sentar em um ônibus noturno não é ideal para dormir. Não é glamouroso, mas com passagens a partir de 5 EUR, realmente não dá para reclamar

Adquira um Passe de Trem – Os passes Eurail me economizaram centenas de dólares. Se você está viajando por longas distâncias e por muitos países, eles são um ótimo negócio.

Faça os passeios gratuitos pela cidade – Uma das coisas ótimas sobre a Europa é que você pode encontrar passeios a pé gratuitos em todas as principais cidades. Eles podem ser uma ótima maneira de ver as atrações da cidade, absorver um pouco de história e aprender sobre a geografia sem gastar dinheiro. Apenas certifique-se de dar uma gorjeta ao seu guia no final!

Planeje de acordo – Planeje sua viagem pela Europa para evitar dobrar o caminho de volta. O transporte é um grande gasto, então um planejamento adequado pode economizar muito dinheiro (e tempo). Vá em linha reta ou faça um loop. Reservar sua acomodação com antecedência também ajuda a economizar, já que lugares baratos e bons são reservados primeiro, sem surpresa. Uma coisa que aprendi é que esperar até o último minuto significa ficar preso em lugares caros ou lugares baratos que ninguém quer.

Voe barato – Se você sabe para onde está indo e um trem não serve, tente reservar voos com antecedência. Muitas vezes você pode obter tarifas de ida e volta por tão pouco quanto 5 EUR em muitas das companhias aéreas de desconto da Europa, como Ryanair ou Wizz. Muitas capitais têm aeroportos menores mais distantes da cidade com horários ‘inconvenientes’, mas tarifas mais baratas. Lembre-se de que pode precisar considerar um Uber ou táxi de madrugada se os ônibus não estiverem funcionando e você tiver um voo cedo!

Beba menos – Aquelas cervejas de 5 EUR se acumulam. Aproveite os happy hours ou escolha quando sair. Os bares dos albergues são um bom lugar para conseguir bebidas baratas ou compre sua bebida alcoólica no supermercado. Além disso, na Europa, é legal beber fora em parques, praças, à beira dos lagos ou rios. Você verá que pode economizar muito dinheiro evitando bares e clubes. Festejar pelo continente vai acabar com o seu saldo bancário em pouco tempo.

Adquira um cartão turístico da cidade – Muitos escritórios de turismo locais vendem um cartão turístico para todas as suas atrações, passeios e restaurantes. Este cartão oferece entrada gratuita e descontos substanciais em todas as atrações e passeios de uma cidade, transporte público local gratuito (uma grande vantagem) e descontos em alguns restaurantes e shoppings. Eles economizam muito dinheiro. Se você planeja fazer muitos passeios turísticos, pegue um desses cartões.

Compartilhe caronas – Se você é flexível em sua agenda, use o serviço de compartilhamento de caronas BlaBlaCar para pegar caronas com locais entre cidades (ou países) pagando uma pequena taxa. É como o Airbnb, mas para caronas. Usei esse serviço na Suíça e, não apenas economizei muito dinheiro, mas também conheci pessoas interessantes e aprendi sobre a cultura e a vida locais. Os motoristas são verificados e é perfeitamente seguro, embora às vezes as caronas cancelem no último minuto (por isso você precisa ser flexível). Verifique suas avaliações primeiro e tente usar caronas onde a pessoa fez muitas viagens.

Traga uma garrafa de água – A água da torneira é segura para beber na maioria da Europa, então traga uma garrafa de água reutilizável para economizar dinheiro e reduzir o uso de plástico. LifeStraw é minha marca preferida, já que suas garrafas têm filtros embutidos para garantir que sua água esteja sempre limpa e segura.

Adquira um HostelPass – HostelPass é uma associação de desconto para albergues na Europa. Os membros têm 10-20% de desconto em albergues selecionados pela Europa, além de benefícios como café da manhã gratuito ou bebidas gratuitas. Também há descontos em passeios e atividades. É uma ótima maneira de economizar dinheiro se você estiver viajando pela Europa, já que eles têm albergues em 18 países ao redor do continente.

Como se locomover pela Europa

Transporte público – O transporte na maioria das cidades europeias é feito por bonde, metrô ou ônibus. Os preços geralmente ficam em torno de 2 EUR para uma passagem de ida na Europa Ocidental e mais perto de 1 EUR na Europa Oriental. Na maioria das grandes cidades, também existem passes diários disponíveis que oferecem transporte público ilimitado. Esses passes geralmente custam de 5 a 12 EUR por dia.

Nas grandes cidades com aeroportos internacionais, geralmente há um ônibus ou trem disponível que leva os viajantes do centro da cidade para o aeroporto e vice-versa. Espere pagar cerca de 5 a 15 EUR para ir e voltar do aeroporto.

Ônibus – Os ônibus não são tão confortáveis quanto os trens da Europa, embora certas linhas tenham ótimas comodidades (como assentos espaçosos e Wi-Fi). Embora os ônibus não sejam a maneira mais eficiente de viajar pelo continente, eles são confiáveis, seguros e baratos. É possível encontrar viagens de última hora por tão pouco quanto 5 EUR. Um trajeto de Berlim a Munique custa cerca de 25 EUR, enquanto Paris a Bordeaux pode ser tão baixo quanto 10 EUR. Rotas mais longas, como Amsterdã a Copenhague, começam em torno de 47 EUR.

Cada país tem seu próprio serviço nacional de ônibus, mas algumas linhas também percorrem longas distâncias internacionalmente. Megabus e Flixbus (que agora é dona da Eurolines) são as empresas mais populares.

Trem – Viajar de trem é uma ótima maneira de conhecer a Europa. Os preços dos trens intermunicipais variam muito de país para país, dependendo se você pega o trem mais lento ou um trem de alta velocidade e de quanto tempo antes você reserva. Por exemplo, um trem de alta velocidade de Berlim a Munique custa cerca de 38 a 60 EUR, de Bordeaux a Paris fica em torno de 50 a 85 EUR, e de Madrid a Barcelona varia de 45 a 85 EUR. Trens não de alta velocidade e outras linhas intermunicipais são bem mais baratos, geralmente custando cerca de 40-50% do preço dos trens de alta velocidade. Os trens intermunicipais no Leste Europeu geralmente custam entre 45 e 100 EUR quando o bilhete é comprado de última hora. Viagens curtas de trem de 2 a 3 horas dentro dos países custam cerca de 27 EUR.

Você também pode considerar adquirir um Eurail Pass, que permite aos viajantes explorar a Europa fornecendo um número definido de paradas em um período específico. Esses passes são para todo o continente, específicos de um país ou regionais. Eles podem potencialmente economizar centenas de dólares.

Carona/Car sharing – Se sua agenda for flexível, use um serviço de carona e pegue caronas com locais entre cidades (ou países). Os motoristas são verificados e é perfeitamente seguro. O BlaBlaCar é o mais popular.

Se preferir alugar um carro você mesmo e encontrar passageiros para compartilhar a viagem, use o Discover Cars para encontrar os melhores preços de aluguel de carros.

Voos – As companhias aéreas de baixo custo são tão prolíficas que a concorrência ajuda a manter as tarifas baixas. É possível encontrar passagens onde a tarifa é de apenas 5 EUR ida e volta! Empresas como EasyJet, Ryanair, Wizz e Vueling oferecem voos incrivelmente baratos por toda a Europa. Reserve pelo menos um mês antes para encontrar ótimas ofertas.

Certifique-se de que o aeroporto para onde voam não está muito fora do seu caminho (o transporte do aeroporto secundário às vezes anula a economia da utilização da companhia aérea de baixo custo).

Lembre-se de que você terá que pagar para despachar sua bagagem nessas passagens baratas. Custa cerca de 25 a 39 EUR por uma mala despachada. Se você esperar para pagar pela bagagem no portão, acabará pagando quase o dobro. Viaje apenas com bagagem de mão para evitar esse custo adicional.

Pegar carona – Pegar carona na Europa é muito seguro, mas não é para todos. Pegar carona é bastante comum pelo continente e conheci vários viajantes que fizeram isso (eu mesmo viajei assim na Bulgária e na Islândia). Alguns países são muito receptivos (Romênia, Islândia, Alemanha), enquanto outros podem ser um pouco mais demorados (Itália, Espanha). O HitchWiki é o melhor site para informações sobre pegar carona.

Quando Ir à Europa

Não há época errada para visitar a Europa. A alta temporada é o verão, quando a Europa fica lotada e agosto é o momento em que a maioria das famílias europeias está na praia, então tudo fica mais lotado e caro. Mas a atmosfera geral e o clima são ótimos durante esse período, então ainda vale a pena visitar durante a alta temporada (apenas reserve sua acomodação com antecedência – especialmente em agosto). Tenha em mente que é muito mais quente no verão, então se você gosta de ar-condicionado, verifique se seu albergue ou hotel tem antes de reservar. Você pode esperar mais multidões na Europa Ocidental. Por esse motivo, acho que o verão é um ótimo momento para visitar os Bálcãs e os países bálticos, porque muitas pessoas vão às praias na Espanha, França, Itália, Croácia e Grécia.

A meia temporada é a primavera e o outono (abril-maio e setembro-outubro). Ainda está quente durante esse período, mas não há tantas multidões e os preços são mais baixos. Este é o meu momento favorito para visitar lugares populares como Espanha, Croácia e Grécia, onde ainda está quente o suficiente para nadar no mar, mas você tem muito mais espaço na praia. Também é um bom momento para fazer caminhadas nos Alpes na Alemanha, norte da Itália, Eslovênia e Suíça, porque é mais fresco durante o dia e você sua muito menos na montanha sem sombra. O clima é bom, as multidões são menores e os preços são mais baixos.

O inverno vai de novembro a fevereiro, mas em grande parte da Europa Central, é úmido e frio até março ou abril. Fica frio, mesmo nos lugares mais ao sul (como Grécia). Por outro lado, a temporada de Natal tem mercados e festivais de Natal em abundância! Mesmo que esteja frio, essa é uma tradição cultural que você não pode perder e por isso eu amo a Europa em dezembro. Há vinho quente, doces e muitos lanches quentes, que variam de país para país. Um dos meus favoritos é Praga, porque a Praça da Cidade Velha é iluminada com uma árvore gigante com aromas de bolos de canela crocantes e vinho quente. Berlim leva seus mercados de Natal muito a sério, então existem cerca de 80 mercados diferentes com temas especiais.

O inverno é fantástico na Europa para esquiar e fazer snowboard, mas não precisa custar uma fortuna se você planejar com cuidado. Embora a Suíça e a França sejam provavelmente as mais famosas, também são caras, mas há muitas opções de inverno com orçamento mais baixo.

Como Ficar Seguro na Europa

A Europa é muito segura para mochilar e viajar sozinho, mesmo se estiver viajando sozinho e mesmo como uma viajante mulher sozinha. Crimes violentos contra turistas são muito raros. Na verdade, alguns dos países mais seguros do mundo estão na Europa. (Eu escrevi um artigo inteiro sobre como a Europa é segura para visitar agora.)

Dito isso, existem golpes e crimes pequenos dos quais você deve ficar atento, especialmente em torno de pontos turísticos populares. A coisa mais importante é estar ciente dos batedores de carteira em multidões e no transporte público. Feche suas bolsas e não coloque seu telefone móvel em um bolso do casaco onde alguém poderia pegá-lo rapidamente. Isso deveria ser óbvio, mas não exiba seu dinheiro para que todos saibam que você tem um monte de dinheiro.

Ao escolher um albergue, procure por aqueles com armários. É sempre uma boa ideia carregar um cadeado ou um cadeado com combinação. A maioria dos albergues é segura e os viajantes se respeitam, e raramente vejo coisas acontecerem com os pertences das pessoas. No entanto, sempre acho que a prevenção é melhor.

Como em qualquer lugar, as precauções padrão se aplicam (nunca deixe sua bebida sem supervisão no bar, nunca volte para casa sozinho intoxicado, etc.). No bar, sempre fique de olho na sua bebida. Evite voltar para casa sozinho à noite se estiver intoxicado.

Para viajantes femininas, é sempre uma boa ideia ter um pouco mais de dinheiro com você, apenas no caso de precisar pegar um Uber ou táxi de volta sozinha para não correr riscos desnecessários para economizar dinheiro. Se estiver usando aplicativos para marcar encontros enquanto viaja, use o bom senso e encontre-se em lugares públicos. Como não sou uma viajante feminina, por favor, consulte numerosas blogueiras que têm conhecimento em primeira mão sobre isso.

Se estiver preocupado com golpes, você pode ler sobre golpes comuns para evitar aqui.

Se alugar um veículo, não deixe objetos de valor nele durante a noite. Roubos são raros, mas é sempre melhor prevenir do que remediar. Esteja ciente de que o Reino Unido dirige à esquerda e que a maioria dos carros alugados na Europa terá transmissão manual, a menos que você solicite o contrário.

Ao fazer caminhadas, sempre leve água, protetor solar e band-aids ou curativos para os pés. Não há nada pior do que estar a meio caminho da montanha com uma bolha e sem nada a fazer.

Da mesma forma, quando estiver na costa, não esqueça apenas de usar protetor solar! Não posso dizer quantas vezes vi pessoas ficarem torradas no primeiro dia. Certifique-se de verificar o tempo antes de partir e se vista de acordo.

Se tiver uma emergência, ligue para 112 para obter assistência.

Sempre confie no seu instinto. Faça cópias dos seus documentos pessoais, incluindo passaporte e identidade. Envie seu itinerário para pessoas queridas para que elas saibam onde você está.

O conselho mais importante que posso oferecer é adquirir um bom seguro de viagem. O seguro de viagem protege contra doenças, lesões, roubos e cancelamentos. É uma proteção abrangente caso algo dê errado. Nunca viajo sem ele, pois já precisei usá-lo muitas vezes no passado.

Oportunidade

Se você deseja desbravar a Europa com um orçamento mais enxuto, todas essas dicas podem fazer uma enorme diferença.

Com o conhecimento certo, é possível economizar até 70% do custo normal de uma viagem! Se você quiser aprender mais sobre como viajar gastando menos, estou montei uma aula especial onde compartilho estratégias detalhadas para maximizar seu orçamento de viagem.

Junte-se a mim para descobrir como explorar a Europa de forma econômica e inteligente, tornando cada aventura memorável sem comprometer suas finanças. Venha aprender e viajar mais, gastando menos!

Você pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

VIAJE MAIS PELO MUNDO:

Mais buscados

[VISA]-GettyImages-1168351566
Conta NOMAD: Tudo que você precisa saber sobre a conta global
mapa-mundi-colorido
Cidadania e Viagens: Entenda Como Uma Influencia a Outra
planejamento-de-viagem-no-mapa
Guia Básico sobre Cidadania Dupla: O que Você Precisa Saber
pexels-lorraine-kinnear-4869041
Guia de Viagem pela América do Sul
image-9
Guia de Viagem pelo Sudeste Asiático
20180218_084700
Quanto Custa Fazer um Mochilão na América Latina? Guia Completo para uma Viagem Inesquecível