fbpx
Dicas

Itália aprova visto de nômade digital para trabalhadores remotos

A pandemia do novo coronavírus levou milhares de trabalhadores – contra sua vontade ou não – a aderirem ao famoso home office. Diante dessa nova realidade, tornou-se mais comum e aumentou o número de pessoas que se denominam nômades digitais, que nada mais são do que pessoas que podem trabalhar em qualquer lugar do mundo por meio de um computador.  Pensando nisso, o visto de nômade digital na Itália foi aprovado.

Da mesma forma, diversos países, principalmente da Europa, tem buscado se adaptar a essa nova realidade e começaram a emitir vistos especiais.

Como já dito, a Itália, por exemplo, passou a emitir o visto de nômade digital, que permite que os home officers possam se mudar ou passar um período de tempo em outro país exercendo o seu trabalho com apenas um notebook e conexão à internet. 

Buscando elucidar um pouco sobre esse tema, separamos algumas curiosidades sobre o que caracteriza um nômade digital, porque eles têm se tornado cada vez mais comuns e informações relevantes sobre o visto de nômade digital na Itália. Confira e boa leitura! Aproveite!

O que é um nômade digital?

Em poucas palavras, um nômade digital, também denominado trabalhador remoto, é um profissional que trabalha na modalidade a distância através de recursos online sem precisar estar presente em um escritório, cidade ou país específico. 

Esse novo estilo de vida já soma mais de 35 milhões de adeptos pelo mundo e, segundo o Relatório Global de Tendências Migratórias 2022 da Fragomen, é estimado que até 2035 existam cerca de 1 bilhão de nômades digitais.

Nesse sentido, trata-se de um profissional livre para trabalhar de qualquer lugar desde que tenha acesso à internet e a um dispositivo, como computador, notebook ou tablet. Dentre as profissões mais comuns de um nômade digital, lembrando que podem existir exceções, estão:

  • Produtores de conteúdo.
  • Editores.
  • Fotógrafos.
  • Tradutores.
  • Designers e ilustradores.
  • Professores.
  • Investidores ou donos de e-commerce.

Em nosso site você pode ler um pouco mais sobre o que é um nômade digital e como se tornar um!

Porque o número de nômades digitais tem crescido?

Ainda que o acesso a internet e a um bom computador não seja algo garantido para qualquer um em qualquer lugar do mapa,  o número de profissionais aderindo ao nomadismo digital e exercendo suas profissões do outro lado do mundo sem qualquer tipo de problema tem crescido. 

Além de poder trabalhar de qualquer lugar, um profissional que se encaixe nesse grupo costuma estar em busca de uma vida mais leve e sem os malefícios de passar 5 dias por semana dentro de um escritório. No mais, trata-se de uma ótima oportunidade, principalmente, para os jovens conhecerem o mundo e começarem suas vidas. 

Nesse sentido, listamos alguns dos principais benefícios de se tornar um nômade digital, veja a seguir:

  • Aumento da satisfação pessoal.
  • Aumento da produtividade.
  • Possibilidade de conhecer novos lugares e novas pessoas.
  • Rotina flexível e adaptável.
  • Retorno financeiro.

Então, juntando ideais de vida e os benefícios acima, muitos homens e mulheres se organizam financeiramente e emocionalmente para se jogar no mundo e construir novas histórias. 

É importante salientar, no entanto, que uma vida de nômade digital também apresenta muitos desafios. Deve-se estar preparado para trabalhar intensamente, é preciso ter controle financeiro sobre uma renda instável e preparo para deixar amigos e familiares para trás em busca de um novo destino.

Detalhes sobre o novo visto na Itália

visto de nômade digital na Itália foi aprovado.

Assim como Portugal e Espanha, a Itália aprovou e assinou em 28 de março de 2022 o novo visto de nômade digital para os trabalhadores remotos que desejam visitar ou residir legalmente no país, investindo cerca de um bilhão de euros para transformar diferentes vilas italianas em lugares atrativos para esse público.

O principal interesse na emissão desses novos vistos é oferecer oportunidades e reestruturar os setores econômicos mais atingidos pela pandemia de Coronavírus em toda a Europa.  

Nos próximos meses o governo italiano irá definir todos os procedimentos e detalhes necessários, mas algumas informações já foram liberadas para aqueles que tiverem interesse.

Quem tem direito?

Trata-se de uma autorização para trabalhadores não pertencentes à União Europeia (UE) e que realizam atividades laborais por meio de ferramentas tecnológicas que lhes permitam trabalhar remotamente de maneira autônoma ou para uma empresa não italiana.

Anteriormente, cidadãos que não fossem da UE poderiam passar até 90 dias na Itália sem visto, mas com a nova legislação isso se tornará mais fácil. Segundo o parlamentar Luca Carabetta, que participou do processo de criação da nova lei, o visto para nômade digital terá validade de até um ano e poderá ser estendido para familiares próximos.

Serão considerados qualificados desde professores universitários, circenses até enfermeiros e uma renda mínima ainda será estabelecida.

Como solicitar o visto de nômade digital?

Carabetta ressaltou que os legisladores irão trabalhar em conjunto com o Ministério de Relações Exteriores para definir quais serão os passos envolvidos no processo. Dessa forma, as informações deverão ser publicadas nos próximos meses, assim como os requisitos mínimos necessários.

O jornal Il Sole 24 Ore publicou que os profissionais contemplados não terão restrições quanto ao número de autorizações de trabalho emitidas anualmente.

Quais os outros países com visto para Nômades Digitais?

Além da Itália, muitos outros países passaram a oferecer os vistos para profissionais que trabalham por via remota. Confira alguns deles abaixo e os critérios necessários para conseguir a autorização.

Austrália

A Austrália oferece aos trabalhadores o Australian Working Holiday Visa, que nada mais é do que um visto de longo prazo que permite os nômades digitais trabalharem e morarem no país por até 1 ano. Dentre os requisitos mínimos, o trabalhador deve ter rendimentos de pelo menos US $50 mil por ano.  

Alemanha

A Alemanha foi o primeiro país a criar um visto especialmente para os freelancers ou nômades digitais, a Autorização de Residência para Trabalho Autônomo. Com ele o trabalhador pode permanecer no país de 6 meses até 3 anos. 

Para obter o visto o candidato deve comprovar renda, ter um seguro de saúde e pagar uma taxa em torno de 100 euros.

Portugal 

Trabalhadores remotos podem solicitar o visto de residente temporário em Portugal no Centro de Solicitação de Visto. Ele pode ter validade de 1 a 5 anos e pode, ao final, ser solicitada a residência permanente.

Para ter direito o trabalhador deve comprovar renda, possuir uma renda mensal superior a 600 euros e não possuir antecedentes criminais. Além disso, o processo envolve o pagamento de uma taxa de 83 euros.

Brasil

No Brasil, o Ministério da Justiça deu entrada no processo de criação do novo modelo de visto em Janeiro de 2022, voltado para cidadãos estrangeiros que desejam viver no país, principalmente os nômades digitais.

O ministério brasileiro planeja conceder o visto de moradia com validade de até 2 anos para aqueles que comprovarem o vínculo com uma empresa estrangeira e confirmarem a atuação por via remota, além de atestar condições financeiras para se manter no país durante esse período.

Confira em nosso blog outros 15 países com visto para nômades digitais!

Vê-se, portanto, que todos os países enxergam o nômade digital como um movimentador da economia e em tempos pós pandemia isso é mais que necessário.

No caso da Itália, o visto de nômades deve ser aprovado e lançado com detalhes ainda em 2022, pois o país tem procurado por imigrantes para atuarem nos mais diversos setores sociais.

Para se tornar um nômade digital, é preciso ter consciência dos desafios e exigências de cada país para poder dar entrada no processo de visto. Esperamos ter ajudado um pouco na sua escolha ou esclarecido um pouco sobre o tema. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*